Quarta, 24 de Julho de 2024
19°C 33°C
Umirim, CE

'Pix errado': entenda novo golpe que viralizou e saiba como se proteger

Na fraude, vítimas perdem dinheiro da própria conta ao tentar devolver quantia transferida por criminosos "acidentalmente"

09/07/2024 às 15h01 Atualizada em 15/07/2024 às 18h20
Por: Redação Umirim Notícias Fonte: Diário do Nordeste
Compartilhe:
Novo golpe viralizou nas redes sociais e preocupou usuários
Novo golpe viralizou nas redes sociais e preocupou usuários

Conhecida como “golpe do Pix errado”, uma nova modalidade de fraude viralizou nas redes sociais nos últimos dias, preocupando usuários. Na ação, indivíduos entram em contato com o alvo do golpe pedindo para que ele devolva uma quantia que teria sido transferida “por engano”. Ao realizar a transação, no entanto, a vítima perde dinheiro da própria conta. 

Uma das pessoas enganadas é o professor Luiz Cezar Lustosa Garbini, de 23 anos. Em entrevista para o G1, o docente revelou ter tido R$ 700 retirados do próprio saldo bancário, após tentar devolver o mesmo valor para um homem que entrou em contato com ele, alegando ter transferido a quantia acidentalmente.

Segundo Luiz Cesar, o caso ocorreu no dia 27 de junho, quando o suposto golpista utilizou o número de celular presente na chave Pix dele para lhe mandar uma mensagem através do WhatsApp.

No contato, o homem afirmou ter feito uma transferência de R$ 700 para a conta do docente por engano. Intrigado, Luiz Cesar checou o aplicativo do banco, confirmando o valor a mais no saldo.

O professor, então, tentou estornar a quantia através da própria plataforma, mas o recurso não funcionou. Sem alternativas, ele realizou um Pix para o desconhecido, como forma de devolver o valor "transferido acidentalmente".

Foram somente minutos após efetuar a transação que o docente percebeu uma mudança no saldo bancário.

“O valor original que eu tinha era R$ 1 mil. Quando eu recebi os R$ 700 dele, eu fiquei com R$ 1.700, mas daí eu enviei o Pix para ele e eu voltei para os meus R$ 1 mil. Só que passou 15 minutos, eu entrei na minha conta e eu estava só com R$ 300”, afirmou ele.
O docente ainda entrou em contato com o golpista novamente, explicando a situação, mas o desconhecido se negou a devolver a quantia e o bloqueou no aplicativo de mensagens.

“Além de eu ter feito o Pix para ele, o banco também fez a devolução do valor para ele [...] Me senti desacreditado que o cara teve essa atitude logo após eu ter sido honesto com ele”, desabafou Luiz.

COMO FUNCIONA O GOLPE DO PIX ERRADO
Com a repercussão do caso, dezenas de usuários utilizaram as redes sociais para discutir a execução do golpe, questionando-se sobre como ele funciona. Tentando explicar as dúvidas, a influenciadora Nath Finanças, pós-graduada em Gestão Financeira, compartilhou um vídeo sobre o golpe em seu perfil no X, antigo Twitter, nessa segunda-feira (8).

“Eles entram em contato com você e falam: ‘olha, eu fiz um Pix errado para você, tem como você devolver?’ Você recebe essa mensagem no WhatsApp, porque nossos dados estão vazados por aí. Então, você realmente entra na sua conta e vê lá que tem um Pix errado naquele valor”, iniciou ela.

Segundo a especialista, o golpe acontece justamente após a vítima devolver a quantia. Nesse momento, o golpista utiliza o Mecanismo Especial de Devolução (MED), recurso disponibilizado pelo Banco Central para combater fraudes financeiras, a seu favor.

“Simplesmente, você vai lá, transfere o dinheiro para conta que eles passaram para você no WhatsApp. Aí, eles entram em contato com a instituição financeira deles e falam que eles tomaram um golpe, dizem que você deu um golpe neles”, explicou Nath.

Após a denúncia, o banco avalia se o caso faz parte das fraudes combatidas pelo MED. Ao perceber que a vítima transferiu o valor para outra conta, indicada pelo criminoso, e não para a que realizou a transferência inicialmente, a instituição entende que o golpe, de fato, ocorreu.

“O banco vai fazer uma análise e vai ver que você fez uma transferência para outra conta, que, no caso, você pensou que fosse da pessoa, mas não é. Aí, o golpista fala que fez um Pix errado, não devolveram e tomou um golpe. Então, o banco vai bloquear os seus bens e vai transferir o dinheiro [da sua conta] para a pessoa. Ou seja, você perde duas vezes, [perde] o dinheiro que tava ali, que era seu, e o que você transferiu pra pessoa”, finalizou a especialista.

COMO EVITAR A FRAUDE?
Ainda de acordo com Nath Finanças, uma forma eficiente de evitar o golpe é utilizar o próprio recurso de estorno dos aplicativos bancários para devolver as quantias transferidas pelos criminosos.

“Quando você recebe o Pix errado, ao invés de você fazer a transferência para conta que o golpista tá falando para você fazer lá no WhatsApp, você vai apertar em ‘devolver dinheiro’. Ali, você vai devolver automaticamente para a conta de onde foi enviado o dinheiro para você”, orientou ela.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.