Segunda, 30 de Novembro de 2020
Ceará EDUCAÇÃO

Volta às aulas na rede pública estadual continua sem data prevista, diz Secretaria da Educação

Durante reunião nesta quarta-feira (2), a secretária estadual da Educação, Eliana Estrela, informou que o retorno às atividades presenciais só vai acontecer depois que a decisão for divulgada em decreto pelo Governo do Estado

03/09/2020 10h07 Atualizada há 3 meses
Por: Redação Umirim Notícias
A Seduc ressaltou, por nota, que todas as escolas iniciaram o período letivo exclusivamente de forma remota neste segundo semestre
A Seduc ressaltou, por nota, que todas as escolas iniciaram o período letivo exclusivamente de forma remota neste segundo semestre

A situação das escolas na rede pública estadual continua indefinida diante da possibilidade de reabertura. De acordo com Eliana Estrela, secretária da Educação do Estado, “não há data para retorno das atividades presenciais”. 

A declaração foi feita nesta quarta-feira (2), durante reunião entre a Secretaria da Educação (Seduc) e o Sindicato dos Servidores Públicos lotados nas Secretarias de Educação e de Cultura do Estado do Ceará e nas Secretarias ou Departamentos de Educação e/ou Cultura dos Municípios do Ceará (Apeoc). Segundo Eliana Estrela, o retorno às atividades presenciais “só acontecerá após a divulgação da decisão do Governo do Estado, por meio de decreto, levando em conta as orientações da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) e decisões do Comitê Estadual”. 

A Seduc ressaltou, por nota, que todas as escolas iniciaram o período letivo exclusivamente de forma remota neste segundo semestre, seguindo um planejamento de ações com o intuito de “preservar o processo de ensino e aprendizagem de maneira segura”. 

O Sindicato Apeoc, por sua vez, destacou por meio das redes sociais que reafirma a posição contrária ao retorno às aulas presenciais “sem que haja segurança sanitária para todas e todos, professores, estudantes e profissionais da Educação”.  

O posicionamento foi chancelado pela categoria, em resolução política aprovada em plenárias virtuais realizadas durante o mês de agosto, em todo o Estado. 

“Enquanto não houver segurança sanitária, não há condições de retorno presencial. Para além disso, é necessário a disponibilidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para professores, profissionais da educação e estudantes, além de investimentos para a readequação das unidades escolares”. Afirma Reginaldo Pinheiro, presidente em exercício da Apeoc. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.