Sexta, 04 de Dezembro de 2020
Política COVID-19

Camilo prorroga decreto de isolamento social até 20 de maio

Entre as novas medidas de prevenção, está o uso obrigatório de máscaras pela população ao sair de casa a partir desta quarta-feira. Camilo garante funcionamento de serviços essenciais

05/05/2020 19h17 Atualizada há 7 meses
Por: Redação Umirim Notícias Fonte: DIÁRIO DO NORDESTE
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O governador Camilo Santana anunciou, na manhã desta terça-feira (5), a renovação do decreto estadual de isolamento social por mais 15 dias, durante os quais apenas os serviços essenciais poderão funcionar. O chefe do executivo, juntamente com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, revelou medidas mais duras para diminuir o contágio do novo coronavírus no Ceará. O uso de máscaras passa a ser obrigatório em todo o Estado já a partir desta quarta-feira (6).

"Quero aqui anunciar, hoje, que estamos renovando o decreto estadual que vale para todos os municípios por mais 15 dias, até o dia 20 de maio. Uma novidade: a obrigatoriedade, a partir de amanhã, do uso de máscaras para todas as pessoas que forem sair de casa", anunciou Camilo, em transmissão pelas redes sociais.

Em Fortaleza, além das regras que valem para todos os municípios, quatro medidas endurecem o isolamento social a partir de sexta-feira (8). Roberto Cláudio detalhou as novas medidas de combate à propagação do coronavírus:

Fica proibida a circulação de pessoas em locais ou espaços públicos (praias, praças, calçadões), salvo quando em deslocamentos imprescindíveis para atividades essenciais;

Fica estabelecido o controle de veículos particulares em vias públicas, salvo deslocamentos justificados, bem como veículos de serviços essenciais; deslocamento relacionados às atividades de segurança e saúde; transporte de cargas; serviços de transporte por taxi, mototáxi ou veículos por aplicativo.

Controle de entrada e saída de Fortaleza com municípios vizinhos;

As pessoas comprovadamente infectadas ou com suspeita de Covid-19 devem permanecer em confinamento obrigatório em domicílio, em unidade hospitalar ou em outro lugar determinado pelas autoridades de saúde.

Camilo detalhou, em publicação nas redes sociais, que a circulação em espaços públicos, como praias, praças, calçadões e parques, só será permitida com a devida justificativa, entre elas a busca pelos serviços essenciais.

O governador ainda fez apelo à população para que as pessoas cumpram o isolamento social. "Essa é uma das principais medidas orientadas por especialistas, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), para diminuir os efeitos dessa pandemia, que mata as pessoas", reforçou. Ele pediu para que os demais gestores municipais façam valer o isolamento e o decreto estadual.

Nem Camilo nem Roberto Cláudio informaram se as pessoas que infrigirem as novas determinações serão punidas, nem como seriam essas punições. A promessa é que o decreto seja publicado ainda nesta terça.

Atividades essenciais

O governador garantiu que as atividades essenciais continuarão em operação e excluiu o risco de desabastecimento. "Quero só reforçar que todas as atividades essenciais continuarão funcionando, supermercados, farmácias... As pessoas fiquem tranquilas porque não haverá desabastecimento. Todas [atividades] estarão mantidas e serão resguardadas", assegurou.

A fiscalização do cumprimento das medidas também será reforçada, segundo Camilo: "Todas nossas forças de segurança, tanto da Prefeitura como do Estado, irão trabalhar para fiscalizar todas as restrições estabelecidas no novo decreto para o cumprimento na Capital e no Estado do Ceará. Sei que não são medidas fáceis, são medidas duras, mas tem um único objetivo: salvar vidas".

Indicativos anteriores

Na última sexta (1º), o governador do Ceará já havia confirmado a prorrogação do decreto que estabelece o isolamento social no Estado e o fechamento de algumas empresas. Sem a prorrogação, o decreto, que já havia sido prorrogado no dia 4 de abril, valeria até hoje.

Durante coletiva no Palácio da Abolição na sexta-feira, o governador também já havia destacado que estavam em estudo medidas mais rígidas para conter o avanço do coronavírus no Estado. Questionado sobre a possibilidade de flexibilização do isolamento social, o chefe do executivo estadual afirmou que "não é o momento de falar em flexibilização".

"O que eu posso afirmar é que este não é o momento para flexibilizar. É de ampliar ainda mais as medidas restritivas diante dos números que nos foram apresentados", disse Camilo Santana.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.