Teste 1
MARACANAÚ

Presidente da Câmara de Maracanaú cumpre prisão preventiva após operação que investiga corrupção e lavagem de dinheiro

Vereador foi alvo de operação da Polícia Civil e Ministério Público. Defesa informou que vai entrar com um pedido de liberdade na Justiça.

12/09/2019 22h49Atualizado há 2 meses
Por: Redação Umirim Notícias
Fonte: G1/CE
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O presidente da Câmara Municipal de Maracanaú, vereador Carlos Alberto Gomes de Matos Mota (DEM), continua preso na Delegacia de Capturas (Decap), em Fortaleza. Ele foi alvo de duas operações realizadas pela Polícia Civil e Ministério Público do Ceará (MPCE) na terça-feira (10), na sede do município.

De acordo com o advogado José Raimundo Menezes Andrade, que representa o vereador, ele se apresentou espontaneamente à Justiça na quarta-feira (11), passou por audiência de custódia, fez exame de corpo de delito e foi encaminhado para a Delegacia de Capturas.

"Ainda não tive acesso ao processo e só sei o que o meu cliente falou, que estavam sendo atribuídos a ele diversos crimes, como transferências e depósitos irregulares e a prática de 'rachadinha'. Já pedi que o juiz autorize o meu acesso aos autos e às ligações telefônicas interceptadas, que dizem constar do processo", afirmou. As investigações seguem em segredo de Justiça.?

Além do presidente da Câmara, outras duas pessoas foram presas e 21 mandados de busca e apreensão foram cumpridos pelos investigadores nas operações. O vereador cumpre prisão preventiva, sem prazo para terminar.?

A Operação Fantasma teve como finalidade apurar suposta contratação de servidores fantasmas na Câmara Municipal, bem como suspeita de desvio de recursos da remuneração de servidores da Casa Legislativa, a chamada "rachadinha", em que o servidor devolve parte do salário ao vereador que o contratou.

Já a Operação Sued visou acabar com esquema de lavagem de dinheiro e seus crimes antecedentes, com suposto envolvimento de uma empresa com sede em Maracanaú.?

?Repercussão na Câmara

Em Maracanaú, o clima é de tensão, segundo a vereadora Silvana Maciel (PHS). "É preciso que as coisas sejam esclarecidas e que os responsáveis pelos crimes - se for comprovado que eles ocorreram - paguem na medida de sua responsabilidade". De acordo com a vereadora, o comunicado oficial da prisão do presidente da Câmara foi feito no fim da sessão plenária de quarta-feira, por um oficial de Justiça.?

?"Imediatamente encaminhamos o documento para a Procuradoria da Casa que, seguindo o que diz o Regimento da Casa, vai nos orientar se o vice-presidente - o vereador Denir Peixoto (DEM) - assume imediatamente a vaga ou se será necessário realizar uma nova eleição para a mesa diretora. Ainda não sabemos quais serão os próximos passos", acrescentou. As sessões na Câmara Municipal de Maracanaú ocorrem três vezes por semana: às segundas, terças e quartas-feiras.

O advogado José Raimundo Menezes Andrade afirmou que vai entrar com pedido de habeas corpus a favor do vereador, uma vez que como ele tem bons antecedentes e residência fixa, poderia responder ao processo em liberdade.

"Ainda estão na fase de investigação, o meu cliente não foi acusado de nenhum crime", comentou. ?

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.